Páginas

sábado, 10 de agosto de 2013

ORAÇÕES PARA NOS AJUDAR NA NOSSA CAMINHADA:




Pai, sei que me concedestes para esta vida o que tinhas de melhor, visando o meu bem e o meu adiantamento espiritual... No entanto, como me é difícil, às vezes, compreender isso; como me custa carregar a cruz que puseste em meus ombros, confiando em minhas forças e em minha fé!... Diante da provação, demoro a perceber os benefícios da dor ao meu espírito imortal e então vacilo e me enfraqueço, perante meus maiores inimigos que são a mágoa e a falta de resignação... Sei que preciso aprender que o corpo material que hoje me tortura e me impõe impedimentos de toda ordem é porta de redenção aos débitos contraídos no passado, quando de posse de saúde perfeita e privilegiada compleição física; que o lar onde colho sofrimentos e lágrimas é o campo sagrado que devo cultivar hoje, para que me seja o formoso jardim do amanhã; que na rua onde me sobressalto e me escandalizo estão minhas fugas e meus delitos de ontem, a me pedir por isto mesmo maior misericórdia e compreensão; que o vizinho inoportuno, o amigo inconveniente; o trabalho repetitivo; o chefe rude e o colega insensato são os mestres que colocaste em meu caminho para que eu aprenda distinguir com mais clareza a necessidade da clemência, o imperativo da tolerância e a virtude inequívoca da paciência...
Por isso rogo, Senhor, concede-me o desprendimento necessário para assimilar mais esta lição, e boa vontade o bastante para aplicá-la, doravante, em meu dia-a-dia. Ampara-me, Pai Amado, e guarda-me de complicar meu caminho abrigando no coração a mágoa, o desalento, o desespero, o medo e o rancor, para que minha alma prossiga sempre em frente, em radiante espontaneidade, rumo à glória infinita de Teu Amor!
Assim seja!


Pai Amado... Não está sendo nada fácil seguir em frente de cabeça erguida, em meio a tantos problemas! Doem-me os golpes desferidos pelas criaturas por quem me desvelei e que penso, em meu humilde entendimento, deviam-me um pouco mais de respeito e consideração... Tenho procurado amar e auxiliar, na medida do possível, não só aos meus como a todos os meus semelhantes; tenho respeitado compromissos, honrado laços e cumprido fielmente todas as minhas obrigações, seja no lar, na rua ou no trabalho... Ainda assim, Pai, minha recompensa tem sido a ingratidão e o pouco caso, como que a me fazer acreditar quão pouco valor possui aquilo que faço e que ofereço à vida!....


Por isso estou aqui, Senhor, rogando envie os bons Espíritos -seus emissários junto às nossas dores - para me esclarecer, me consolar e me dar forças para seguir em frente mesmo que sob o clima da incompreensão e da intolerância em que vivo hoje. Dá-me sustentação, meu Pai, dá-me coragem e serenidade para enxergar as situações como elas realmente são, a fim de que meu coração não se inunde com o fel da mágoa e o visco do ressentimento, envenenando não só a mim como também às oportunidades presentes e que podem trazer em seu bojo a solução de meus problemas...


Guarda-me de chorar além das lágrimas que aliviam, não permitindo que minha alma mergulhe em pensamentos negativos e neles permaneça, prejudicando minha vida e minha saúde conscientemente. Pelo contrário, Pai, dissipando as nuvens de meu desencanto, possa o Senhor colocar em seu lugar a confiança plena em Tua Justiça e em Teu Amor, na certeza de que, se hoje colho lágrimas e desconsideração, amanhã será dia de sorrir entre laços e afagos mais sinceros.
Assim seja!
André Luiz,






A minha família, Senhor, é um pequeno jardim plantado entre as tribulações do mundo e onde colho, diariamente, as flores da alegria e as bênçãos do refazimento. Quando juntos, a vida corre harmoniosa e serena qual se fôssemos um pequeno mundo à parte, isolados do torvelinho humano pelos laços inquebrantáveis da simpatia, do carinho e da compreensão mútua... No entanto, sei que tudo se transforma, se altera, se dilui e se recompõe nem sempre da forma como desejamos. Aqueles que eu amo, Senhor, hoje amparados em meu coração pelos laços de sublime afeto, amanhã poderão se encontrar em experiências das quais não me será permitido fazer parte... Enfrentarão, talvez, tempestades e angústias que não poderei aplacar, por mais queira; encontrarão desenganos que meus cuidados serão incapazes de afastar e conhecerão, quem sabe, pessoas que os levarão para longe de mim, deixando um ninho vazio e lembranças, apenas, de um tempo feliz e melhor...


Hoje, quando olho para minha família e me embriago entre afagos e carícias, não devo mais esquecer que eles, assim como eu, Te pertencem, para que Tu, Divino Condutor, os guie pelos caminhos que melhor lhes auxiliem a evolução, caminhos estes que nem sempre serão os meus caminhos... Por isso, embora grato pela felicidade que me proporcionastes ao permitir que tantos corações queridos renascessem junto de mim, rogo-lhe não permita que o egoísmo me isole com eles em meu ninho de amor, transformando-os em bonecos de deliciosa manipulação e fazendo-os sofrer mais tarde, quando o vento da provação afastar para bem distante a minha possibilidade de protegê-los, agravando com isso os sofrimentos que por ventura venham a experimentar. Rogo-lhe, Senhor, igualmente, que eu jamais deixe de anotar junto a mim os outros irmãos de jornada, nem sempre aquinhoados pela mesma sorte, a vagar desprovidos do pão da ternura e do bálsamo do amor e da compreensão. Abra meus olhos, Pai, para a vida em torno, a fim de que eu assinale a presença de tantas outras almas merecedoras de todo o meu carinho e atenção, do modo como eu dispenso carinho e atenção aos meus familiares, para que um dia, quando chegar o momento de entregar os meus amados à vida, eu não sucumba, infeliz e vazio, entre o remorso, a saudade e a solidão.
Assim seja!
André Luiz,

Seguidores