Páginas

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

ENTREVISTA DO AUTOR DO LIVRO PERDA DE PESSOAS AMADAS:


“Por que pensar em adeus se a realidade é um até breve?”

O autor do livro Perda de Pessoas Amadas, recentemente lançado, fala sobre a origem e o conteúdo da citada obra




Em 2008, o lançamento de dois livros ligados à área da saúde – Alimentos Depurativos (Seu corpo é o resultado do que você come) e Coma e Seja Feliz(Alimentos para as quatro estações). Agora, três anos depois, precisamente no mês de agosto, o confrade Armando Falconi Filho (foto) iniciou a trajetória de lançamento de seu primeiro livro de cunho espírita, Perda de Pessoas Amadas, embasado nos muitos anos de atuação na Doutrina Espírita e, principalmente, em suas experiências mensais realizadas há sete anos numa reunião que foca, sobretudo, a morte, conforme explicações detalhadas no decorrer desta entrevista.



Natural da cidade de Astolfo Dutra, estado de Minas Gerais, licenciado em Contabilidade e Direito, com formação em Acupuntura Chinesa, Programação Neurolinguística (PNL) e diversas outras técnicas de Terapias Holísticas, Armando Falconi Filho nasceu em berço católico, mas desde muito cedo percebia a presença dos Espíritos e dialogava com eles.


Na adolescência, por meio de amigos conheceu a Doutrina dos Espíritos que lhe trouxe respostas para seus conflitos e consolo para seus tormentos mediúnicos. Já aos dezesseis anos, iniciou-se nas tarefas mediúnicas e nas atividades da exposição doutrinária em sua cidade e na circunvizinhança. Em 1979 instalou-se em Juiz de Fora-MG onde, além de fundar o Centro de Cultura Oriente Ocidente® (instituto que atua com atendimento, formação e pesquisa nas áreas de terapias alternativas e naturais), continuou sua lide espírita em centros espíritas já existentes. Posteriormente, foi um dos fundadores da FEAK – Fundação Espírita Allan Kardec onde, atualmente, faz parte da Diretoria ocupando o cargo de vice-presidente.

Quais as atividades que desempenha, além das espíritas?

Sou terapeuta holístico, autor de CDs e DVDs, onde abordo, em forma de mensagens e palestras, temas diversos como a religiosidade, mudança pessoal para melhor, motivação, autoestima, visualização terapêutica e outros assuntos de renovação íntima. Como radialista, apresento o programa "Sementes do Amanhã", na Rádio Solar AM 1010 Juiz de Fora-MG, de segunda a sexta-feira, às 8h30min, 14h30min e 20h30min, em que discuto sobre saúde física e espiritual. Mantenho mensalmente um espaço no jornal Panorama Sul e sou articulista no site www.acessa.com.

Como começou a usar da oratória no movimento espírita?

Quando completei dezesseis anos passei a falar nas reuniões de mocidade e, em seguida, tive ensejo de aceitar os inúmeros convites para proferir palestras espíritas, pelo que posso afirmar que foi nesse período que iniciei minhas atividades no campo da oratória.

Fale-nos um pouco de sua atuação na mediunidade.

Desde muito cedo eu percebia em torno de mim “pessoas” que não eram registradas nem pelos familiares, nem pelos colegas da escola. Encaminhado para as reuniões e atividades mediúnicas, fui aprendendo, progressivamente, a usar esses recursos, ampliando cada vez mais a sensibilidade e percepção com o mundo espiritual. Atualmente atuo na FEAK, semanalmente, nas tarefas de coordenação de grupos de educação mediúnica e nas atividades de desobsessão.

Sabemos que além das lides mediúnicas você também fundou na FEAK um serviço de atendimento telefônico chamado SOS-PRECES. O que vem a ser esse atendimento, há quanto tempo existe e qual a metodologia utilizada?

Em agosto de 1994, junto com um grupo de amigos, fundei na FEAK uma tarefa de atendimento telefônico que hoje funciona com quatro linhas e uma equipe de trezentos e oito plantonistas, sendo que todos fazem um curso de capacitação antes de ingressarem na tarefa propriamente dita. Nos trabalhos de atendimento ouvimos as pessoas que ligam de todos os estados brasileiros e também do exterior, oferecendo sempre os recursos da oração, de palavras de estímulo e do socorro fraterno. O serviço funciona diariamente, de 8h às 24h, pelo telefone (32) 3236-1122, e estamos chegando a um milhão de telefonemas atendidos.

Como surgiu a ideia do livro PERDA DE PESSOAS AMADAS?

Nos meses de maio e junho do ano de 2003, eu e meus familiares passamos pelo processo de morte de uma tia, do meu pai e da minha mãe, isso tudo num período de apenas vinte e quatro dias. A situação de vivenciar a morte de entes tão queridos e de forma sucessiva me abalou, mesmo com as informações da Doutrina Espírita nesse âmbito. Dessa experiência nasceu um desejo ardente de ajudar pessoas que estivessem passando por um processo similar e, no segundo semestre de 2004, Matheus Fernandes Fraga, o mentor da nossa FEAK, recomendou-me iniciar uma nova tarefa a partir da primeira terça-feira de outubro, dedicada a prestar esclarecimentos sobre morte/desencarnação. Iniciei a tarefa de forma mensal e em agosto de 2005, veio a desencarnação da minha esposa Kátia, como mais um desafio nessa área. O aprendizado de todos que participam da reunião tem sido expressivo e posso afirmar que de minha parte foi ainda maior.

Relate-nos sobre a mensagem do livro, bem como sobre sua metodologia.

Conforme esclarecido anteriormente, o livro é uma explicação para pessoas que passaram pela realidade da morte biológica de familiares e/ou amigos. A obra possui dez capítulos onde abordo temas como: explicando a palavra “perda”, o que é morte, morrer ou desencarnar, quem pode ouvir e ver os Espíritos, neuroplasticidade: nosso cérebro, visitas e contatos espirituais e, ainda, três capítulos com as perguntas e respostas mais frequentes feitas em nossas reuniões de entes queridos.

Por que pensar em adeus se a realidade é um “até breve”? Explique-nos esta frase de chamada contida no seu livro.

Apresento de forma racional que a morte é apenas biológica, ocorrendo somente no corpo, que veio do pó e a ele retornará por efeito da decomposição natural. Já o Espírito é eterno e ressalto que será na realidade do mundo espiritual onde todos nos reencontraremos com os afetos e os desafetos que para lá retornaram ou retornarão; daí não existir adeus, mas sim um “até breve”.

Em várias passagens do livro o leitor irá deparar-se com a palavra “perda”. Esclareça-nos o sentido dessa palavra sob a ótica espírita.

A palavra perda vem do latim vulgar “perdita”, substantivo feminino que significa ato ou efeito de perder ou ser privado de algo que possuía. Foquei essa palavra para dar sentido e, ao mesmo tempo, chamar a atenção das pessoas, pois coloquialmente assimilamos a palavra perda para muitas coisas, tanto para objetos como também para o sentido de morte. Constantemente ouço as pessoas falarem assim: “perdi meu irmão, perdi minha mãe etc.” E na ótica espírita essa frase não está correta, isso porque perdemos objetos, coisas, entretanto, em relação às nossas pessoas amadas, apenas deixamos de conviver, momentaneamente, de corpo presente com elas, porém elas continuam vivas em Espírito e mantêm sempre o mesmo sentimento de afeição que nutriam por nós enquanto encarnadas. A obra conduzirá o leitor a utilizar a frase correta para designar a morte de pessoas amadas e, agindo assim, a sensação de distância e saudade fica mais amena e a dor diminui.

Seu livro é uma obra que deve ser lida somente por espíritas?

Os espíritas poderão ampliar e confirmar seus conhecimentos em torno de um tema que já faz parte de seu cotidiano religioso, entretanto, os adeptos de outras religiões receberão esclarecimentos detalhados do que acontece com o seu ente querido após a morte biológica e, sendo assim, todos terão uma oportunidade de enfrentar com mais tranquilidade e harmonia a desencarnação dos seus afetos e, gradativamente, se prepararem para o momento do regresso à verdadeira morada, ou seja, ao mundo espiritual.

Quando se iniciou o lançamento do livro e quais estão sendo os recursos de sua divulgação?



Iniciei a jornada de lançamentos na cidade de Formiga-MG, mais precisamente no dia 20 de agosto último, e a partir daí estou com mais vinte e quatro cidades agendadas até a presente data. Fiz um hotsite do livrowww.perdadepesssoasamadas.com em que constam inúmeras informações e acontecimentos que envolvem o livro, assim como locais e datas de todos os eventos. Nesse hotsite disponibilizei um trecho do livro para ser lido, há agenda, vídeos, opinião dos leitores, espaço imprensa, espaço aconteceu, área de compra para quem deseja adquirir a obra pela internet. É o canal de comunicação do leitor com o autor, e para quem mais tiver interesse de adquirir a obra, acompanhar os comentários das pessoas que a leram e tirar dúvidas ou informações. Também estarei lançando este livro na Bienal do Livro no Rio de Janeiro nos dias 7 a 10 de setembro, sendo que o horário e o endereço poderão ser conferidos no hotsite citado anteriormente. Concomitantemente, companheiros de diversas outras localidades têm-me contatado para agendar o lançamento do livro em suas cidades e, assim, a divulgação vem sendo desenvolvida pelas redes sociais na internet, jornais, rádio e televisão.

Seguidores