Páginas

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

O QUE DIZER NESTAS HORAS!?


O que dizer aos pais que perdem filhos quando você já passou pela mesma experiência de dor? Alias não passou, mas sim passa, pois a perda de um filho é uma dor e saudade eterna. Evidentemente, com o tempo a dor se diferencia daquela do ato da perda, mas, torna-se um espinho que fica na alma e que volta e meia dá suas agulhadas nos provocando dores.


Certamente, não encontramos palavras a não ser um olhar profundo, um abraço apertado, assim como Deus nestes momentos faz conosco. No seu silêncio profundo, Ele nos ouve, sente nossa dor e nada responde a não ser nos acolher com seu amor de pai.


Tudo que pensarmos em falar será pouco diante tamanha dor, talvez este também deva ter sido o silencio daquele apostolo (João) que estava junto com Maria aos pés da cruz, apenas abraçando-a, enquanto, ela sofria ao ver seu filho agonizando e morto na cruz.


O silêncio são as melhores palavras que podemos dizer nestas tristes horas. O abraço é o mais sincero sentimentos que possamos expressar e compartilhar com um pai, com uma mãe num momento de extrema dor nestas horas tão dolorosa.


Neste momento de dor os pais estão perdidos, perplexos sem entender, sem querer aceitar tamanho acontecimento. Com um coração pequenino, diante uma tragédia que lhe abala suas estruturas físicas, emocionais e espirituais. Talvez seus olhos ceguem para todos ali que estão presentes e em sua mente apenas o olhar no filho.


A perda é um sentimento traumático, principalmente, quando é de um ente que faz parte da nossa existência. Quando é de alguém que está intrinsecamente dentro de nós, ainda que creiamos na vida após a morte, a separação física não deixa de ser um sentimento de perda.


Às vezes, muitos na ânsia de nos confortar, consolar nos trazem palavras de esperança de fé, usando frases bíblicas. Certamente, estas frases ditas por Jesus nos confortam, no entanto, é preciso dizer que mesmo Jesus sendo a ressurreição e a vida ao ver seu grande amigo morto e sentindo a dor de suas irmãs chorou. Não foi um choro falso, mas sim, um sentimento de compaixão por aquelas mulheres que estavam ali completamente perdidas, desconsoladas e tristes pela morte do irmão.


Enfim, nossa atitude diante uma mãe, um pai nestas horas tão dolorosas nossa atitude deve ser de compaixão, de sentir em nós esta mesma dor e através de gestos e poucas palavras demostrar toda nossa solidariedade, todo nosso sentimento de amor para com estes e assim, a nossa ternura e calor agasalhem estes corações dilacerados.


Ataíde Lemos

Seguidores