Páginas

segunda-feira, 3 de junho de 2013

A HISTÓRIA DO INCÊNDIO DO EDIFÍCIO JOELMA:


A Historia do Incêndio do Edificio Joelma



Volquimar Carvalho dos Santos, vítima fatal do incêndio do Edifício Joelma - A professora Volquimar Carvalho dos Santos, 21 anos, trabalhava no setor de processamento de dados de um banco que funcionava no 23º andar do Edifico Joelma. Ela era funcionária da empresa havia um ano e meio. O irmão dela, Álvaro, trabalhava no 10º andar do mesmo prédio. A família de Volquimar é espírita. Ao ser dado o aviso de incêndio, Volquimar e outras quatro companheiras tentaram fugir pela escada, mas quase foram atropeladas pelos funcionários desesperados que tentavam se salvar. Elas correram para a cobertura do prédio, mas acabaram morrendo por asfixia. Álvaro, irmão de Volquimar, sobreviveu ao incêndio. Álvaro localizou o corpo da irmã no IML horas depois do incêndio ter terminado. Meses depois, Volquimar enviou uma mensagem psicografada para a mãe através do médium Chico Xavier. Na mensagem ela contava como tinha sido os seus últimos minutos de vida. Em 1979, a história de Volquimar se transformou no filme “Joelma, 23º andar”. O roteiro é baseado nas cartas psicografadas por Chico Xavier que estão no livro “Somos Seis”.

Walkyria Farias, Carvalho, mãe de Volquimar - Walkyria morava com o marido e três filhos em um conjunto habitacional na zona norte de São Paulo. Dois filhos de Walkyria, Álvaro e Volquimar, trabalhavam no Edifício Joelma e estavam de serviço no dia do incêndio. Álvaro conseguiu sobreviver à tragédia, mas Volquimar ficou desaparecida. Walkyria, Álvaro e um amigo percorreram diversos hospitais em busca de notícias sobre a jovem. Mas tudo foi em vão. No final da tarde, eles foram ao Instituto Médico Legal. Walkyria ficou esperando no carro, enquanto o filho e o amigo tentavam localizar o corpo entre os mortos do incêndio. Álvaro reconheceu de Volquimar, mas resolveu falar para a mãe que não tinha encontrado o corpo da irmã. Neste momento, Volquimar apareceu para a mãe e disse que o irmão estava mentindo. Volquimar mostrou para a mãe o próprio corpo deitado em uma mesa no IML. Dois meses depois do incêndio, Walkyria e Álvaro procuraram o médium Chico Xavier para saber notícias da jovem. Chico disse que o espírito de Volquimar estava dizendo a ele que havia deixado em casa algo que permitiria a comunicação mediúnica entre mãe e filha. Era uma Tábua de Ouija, feita de cartolina. Nesta cartolina estavam as letras do alfabeto e as palavras “sim”, “não” e “talvez”. A partir daí, Walkyria passou a manter conversações com a filha morta através da cartolina. Em julho de 1974, Volquimar orientou a mãe que voltasse a procurar Chico Xavier e que desta vez iria lhe mandar uma mensagem psicografada. O médium psicografou duas mensagens que mais tarde serviram de roteiro para o filme “Joelma, 23º andar”.

Luiz Nunes, o Luizão, zelador e jardineiro do cemitério - Luiz Nunes, o Luizão, é jardineiro e zelador de um cemitério da zona leste de São Paulo e no local estão enterradas 13 pessoas que morreram queimadas no incêndio do Edifício Joelma. As 13 pessoas tentam escapar pelo elevador do edifício, mas não conseguiram se salvar. Os corpos não foram identificados e foram enterrados um ao lado do outro. Os treze corpos deram origem ao mistério das treze almas e a elas são atribuídos milagres. Luizão recebeu uma graça das 13 almas após sofrer um enfarte e ter sido desenganado pelos médicos. Os fiéis quando vão ao cemitério costumam jogar água com um regador na campa das 13 almas. Segundo eles, como as vítimas morreram queimadas, necessitam de água.

Chico Xavier, médium - Na hora do incêndio do Edifício Joelma, o médium Chico Xavier participava de uma reunião particular em seu centro em Uberaba, MG. Assim que ouviram a notícia pelo rádio, ele e seu grupo resolveram fazer uma prece pelas vítimas do Joelma. Chico recebeu uma mensagem de seu mentor espiritual, Emmanuel, onde ele disse que o incêndio era conseqüência de uma desencarnação coletiva violenta, por força das provas redentoras. Mais tarde, numa mensagem psicografada pelo médium, o poeta Cyro Costa explicaria que as pessoas que morreram no incêndio do Edifício Joelma estavam resgatando dívidas contraídas na época das Cruzadas. Dois meses depois do incêndio, Chico Xavier recebeu a vista de Walkyria e do filho dela, Álvaro. Eles queriam saber notícias de Volquimar, uma das vítimas do incêndio do Joelma. Chico disse a Walkyria que ela iria conseguir se comunicar com a filha utilizado um objeto que ela havia deixado em casa. Em julho de 1974, Chico psicografou duas mensagens de Volquimar que mais tarde foram publicadas no livro “Somos Seis”.


São Paulo sexta-feira 1° de fevereiro de 1974, era uma manhã cinzenta como tantas outras no centro da capital paulista,quando pela manhã por volta das 8h45 ouviu-se um barulho de um vidro se quebrando no 12° andar, era um ar condicionado que estava em curto circuito tendo neste momento iniciado o fogo que consumiu pelo menos 189 vitimas fatais e outras 345 ficando feridas. As proporções foram alarmantes pois no prédio havia pelo menos 756 pessoas espalhadas pelos 25 andares. O edifício era um prédio comercial localizado na avenida 9 de julho, 222 esquina de rua Santo Antônio. Antes porém no ano de 1948 um crime macabro ocorreu lá mais precisamente na rua Santo Antônio n° 104 em 4 de novembro de 1947, um crime que abalou os paulistanos na época e ficou conhecido como o Crime do Poço. Joelma é um edifício amaldiçoado, assombrado e doente que até hoje desperta a curiosidade nas pessoas. Muitos relatos, reportagens e matérias constituem um cenário de um verdadeiro filme de horror


Tudo começou em um Ar-condicionado no 12° Andar


Chico Xavier e Volquimar
Muito do que se viu no dia do incêndio marcou todos profundamente não só os envolvidos como também a quem viu de uma forma ou de outra as cenas de um prédio ardendo em chamas. Naquele dia centenas de pessoas se preparavam para mais um dia de trabalho no prédio havia vários andares de escritórios inclusive da agência crefisul onde além de trabalharem vários funcionários, trabalhava a funcionaria Volquimar Carvalho dos Santos , que além de morrer no incêndio teve aparições espirituais para seus familiares, tendo o médium espírita Chico Xavier, psicografando mensagens de Volquimar.Tudo que se vê e uma mistura de vários fatores q volta das 8h45ue antecederam a tragédia. Naquela sexta-feira a rotina dos paulistanos começava muitos indo as lanchonetes tomando seus cafés matinais, a correria no transito para não perder a hora, era talvez mais um dia de rotina para muitos, tragédias e comoção para outros. No inicio a curiosidade dos pedestres, lá em cima a curiosidade e a incerteza do que realmente estava acontecendo no 12° andar, quem lá estava olhava para baixo e via uma fumaça que em pouquíssimos minutos se transformará em uma cortina negra que cobria o céu da cidade. segundo relatos do Corpo de Bombeiros os primeiros pedidos de socorro se deram as 9h03 sendo que por volta de 2 minutos após a chamada já saia do quartéis os primeiros carros de Bombeiros para o tão horrendo incêndio.
O Socorro
Os primeiros que chegaram já encontram as pessoas apavoradas, os curiosos já se aglomeravam muitos olhando assustados, a propagação se deu de forma tão intensa e rápida que os pro pios Bombeiros se assustaram ao deparar com tal cenário. Nesta hora o centro começava a virar um caos, transito começando a congestionar, pedestres deixando de lado seus compromissos, assim a manhã daquele dia começava a mudar o cotidiano de milhares de pessoas. A noticia já tomava conta dos noticiários a imprensa em geral chegava as principais mídias televisivas da época Rede Globo, Record, Bandeirantes e outros meios de comunicação noticiava em primeira mão o ocorrido. Durante a propagação do sinistro incêndio as pessoas dos prédios vizinhos olhavam assustados quando as emissoras começaram a filmar veio a dimensão da tragédia, muitos pulando desesperadamente dos andares em meio ao pavor que tomava conta de todos, quem subia mais acima para chegar ao terraço encontrava lá telhas de amianto e pouco espaço para locomover, com um calor a mais de 700 graus centigrados, tudo se consumia depressa demais para uma atuação dos Bombeiros, o material empregado na construção era de alta combustão aliado a precariedade da instalação elétrica e a falta na época de uma brigada de incêndio.



Helicoptero do Corpo de Bombeiro subia e descia trazendo vitimas dos últimos andares

Um Verdadeiro Show de Horror
Todos estes elementos seriam o suficiente para tal ocorrido, não restando alternativas para se safar do mesmo. Os Bombeiros utilizaram 12 auto-bombas, 3 auto-escadas (Magirus), 2 plataformas elevatórias, equipamentos e muita coragem de determinados homens do Corpo de Bombeiros, muitos lançaram cordas de prédios vizinhos e faziam arriscadas travessias, simplesmente usando as mãos e muita frieza e coragem. Aqueles que se acotovelavam na multidão olhava atônito com o show macabro e horrível, ao vivo e a cores. Muitos já mais esqueceriam aquele dia, passados anos até hoje o nome Joelma causa calafrios e assombros a quem lê ou ouve os relatos dos acontecimentos. A debelação do fogo ocorreu em um tempo estimado de aproximadamente 2 horas de um árduo trabalho. A multidão era solidaria alguns rezavam, escreviam cartazes e faixas para aqueles que estavam lá não pulassem, era assombroso, as cenas ali filmadas e fotografadas até espanta que as vê. Aproximadamente umas 4 pessoas se jogaram de vários andares inclusive o terraço, foram utilizados helicópteros no salvamento, mas quem estava no calor das labaredas e fumaça de desesperava paraagarrar e poder subir nos helicópteros, alguns caiam era um salvamento difícil diante das circunstancias ali expostas.


Na escada Magirus os Bombeiros tentavam salvar aqueles que ali se escondiam

No terraço a agonia, o desespero, e o terror tomava conta dos últimos sobrevivêntes

Nas ruas laterais ao edificio se podia ver a dimensão da tragédia

Do alto helicoptereo tenta socorrer mais uma vitima do agonizante incêndio


Os Elevadores
Os elevadores eram utilizados pelas acessóristas subindo e descendo com várias pessoas, o que nunca e recomendado em caso de incêndio sua utilização. Foi nesta busca frenética que morreram 13 pessoas queimadas nos elevadores, as mesmas nunca foram identificadas pelos familiares e foram enterradas em um cemitério na zona leste de São Paulo. Elas foram sepultadas lado a lado uma das outras, por volta das 8h45r isto receberam varias homenagens de pessoas que atribuíram as mesmas milagres a qual ficaram conhecidas como 'As Treze Almas", tendo inclusive a sua Oração As Treze Almas, sendo lida nos momentos de dificuldades e desespero para aqueles que tenham fé nas almas.














Seguidores