Páginas

domingo, 3 de fevereiro de 2013

ALLAN KARDEC E A DESCOBERTA DO MUNDO ESPIRITUAL:


ALLAN KARDEC


Allan Kardec
Quem foi, como percebeu e iniciou a Doutrina dos Espíritos!!!
1.848 exatamente neste ano, nos Estados Unidos da América, diversos fenômenos estranhos, como RUÍDOS, BATIDAS e MOVIMENTAÇÃO DE OBJETOS , sem causa conhecida, chamaram a atenção de muitos estudiosos. Esses fenômenos realizavam-se espontaneamente, com singular intensidade e persistência. Notou se, também que produziam-se particularmente sob a influência de certas pessoas (chamadas de Médiuns… palavra oriunda do latim que quer dizer meio de intermediar). Essas pessoas, consideradas especiais para a época; podiam de certo modo provoca-los à vontade, o que permitiu a repetição das experiências. Esse fenômeno foi designado a principio de Mesas Girantes… Durante muito tempo o fenômeno foi explicado como produzido pôr ação de uma corrente elétrica ou magnética. Mais tarde pôr fluido desconhecido. E assim, o movimento das mesas seguia em suas apresentações seguindo livremente
para a direita ou esquerda conforme designado pelo Médium , elas moviam-se, erguiam-se sobre um ou dois pés, e até batiam o numero de pancadas solicitadas. Logo ficou evidente para todos os estudiosos que a causa não era puramente física, pois de acordo com o axioma: “Se todo efeito tem uma causa, todo efeito inteligente deve ter uma causa inteligente.”Qual a natureza dessa inteligência? Esse era o problema.
Concluiu-se que ela pertencia a um ser desconhecido… Da América, o fenômeno passou para a França e para o restante da Europa, ficando em moda pôr muitos anos. Digamos de passagem, que a realidade do fenômeno foi contestada pôr numerosos contraditores. Alguns, sem levar em conta o desprendimento e a honorabilidade dos pesquisadores, viam nele um tipo de ilusionismo considerando a ficção absurda. Tacharam de loucos os que levaram a sério e cumularam-nos de sarcasmos e zombarias. Toda sua argumentação resumia-se nisso “Não creio, logo, isto não existe.” Mas; apesar dos contras, as comunicações não cessaram e surgem os médiuns escreventes, ou… pessoas que
escreviam involuntariamente sob impulsão destas Forças. Desde esse momento as comunicações não tiveram mais limites, e a troca de idéias entre os pesquisadores e as Forças passaram a ser constantes. Estes fatos, ocorreram no século XIX e chamaram a atenção de homens inteligentes e sábios que, até então, negavam tudo o que se referisse à Espiritualidade. Pôr volta de 1.854, um professor; Hipólito Leão Denizard Rivail (em Francês Hipolyte Néon Denizard Rivail.) nascido na cidade de Lião (em Francês Lyon – fundada no ano 43 AC.)
Nascido em 03 de Outubro de 1.804 pertenceu a uma família de magistrados e era induzido pôr seu pai aos estudos jurídicos mas; tendia seus instintos aos estudos filosóficos e científicos. Naquela época, Napoleão I reinava sobre a França e pairava entre os homens o espírito guerreiro, materialista, e descrença com intolerância ás coisas religiosas. Era o domínio do materialismo, o império do ateísmo. Os poucos dirigentes religiosos com raras exceções, ao invés de semear as bênçãos da fé e da sabedoria do Evangelho, aliavam-se aos dominadores políticos ameaçando e perseguindo os contrários. O mundo, seguindo o exemplo da França; caminhava para o mais triste
materialismo, acompanhados do do esquecimento de DEUS. Seus pais, preocupados com as lutas religiosas, decidem confia-lo para estudar com o famoso educador Pestalozzi. João Henrique Pestalozzi criou a primeira Escola Profissional do mundo, na Suíça, doutor em Direito, professor de História, dedicousua vida á educação principalmente de crianças pobres. Hipólito, interessado em Magnetismo, aprendeu com Pestalozzi como essa Força viva existe em toda a natureza e no universo. Como ela atua nos homens, plantas, animais, minerais, nas marés, na afinidade química, na bússola e no imã… Forçado pelas injustiças políticas e religiosas que sofreu, Pestalozzi fecha o seu instituto e, Hipólito vai para Paris. Lá, inovou o ensino aritmético da época baseado nos conceitos de Pestalozzi. Dominante de vários idiomas como: Inglês, Alemão, Holandês, Latim, Grego e outros, revolucionou o ensino universitário com sua obra: Gramática
Francesa Clássica, sua fama já se estendia pela Alemanha com suas traduções de obras Clássicas sobre: Educação e Moral, sempre inspirado em Fénelon  (outro grande da época). 1.854, o magnetizador Fortier apresenta a Hipólito as primeiras noticias sobre as mesas girantes. E na residência da família Baudin, inicia-se o estudo cientifico dessas forças. Após muitos experimentos e estudos, concluiu-se que: a causa daqueles fenômenos seria alguma coisa inteligente. Mas; qual a natureza dessa inteligência?
A principio, pensou-se ser reflexo do médium ou de algum dos espectadores. Mas a experiência descartou essa possibilidade pois, conseguiam coisas completamente estranhas ao pensamento e até conhecimentos dos integrantes do grupo. Surge então a idéia de conversar com essa força, utilizando o meio convencional de pancadas para significar sim ou não. Logo, o fenômeno volta a ser divertimento de salão e passa a ser visto no restante da Europa. Mas; o grupo de Hipólito leva a sério suas pesquisas e logo essas Forças identificam-se como ESPÍRITOS e pertencem á um mundo invisível ao do grupo. Tendo sido produzido o efeito em vários grupos e assistido pôr homens sérios e cultos, não era possível que todos fossem joguetes de uma ilusão. Quem são estes ESPÍRITOS? Que papel desempenham no Universo Com que finalidade estariam estes ESPÍRITOS manifestando com os mortais? Estas foram as primeiras questões a quese precisava dar solução. Logo se veio a saber que não se tratava de seresà parte da criação. Mas que eram as próprias almas daqueles que viveram na Terra ou em outros mundos; que essas Almas, depois de ter se despojado de seu envoltório corporal, povoam e percorrem o espaço. Toda a sociedade Parisiense tachou o grupo de loucos. A igreja, não podendo negar os fatos apresentados atribuiu os fenômenos à influência exclusiva do DIABO. Porém… o medo do DIABO , perdeu extraordinariamente o seu valor, quando as pessoas puderam conversar com seus parentes e amigos já mortos. Tanto falaram nele, pintaram-no de tantos modos diferentes, que todos acabaram se familiarizando com a idéia, e muitas pessoas concluiriam que convinha aproveitar o ensejo das MESAS, para ver como ele era… E qual não foi o espanto dos poucos aventureiros; quando aprenderam com os ESPÍRITOS que há no homem três coisas essenciais: Alma ou Espírito, principio inteligente, sede do pensamento, da vontade e do senso moral. Corpo, envoltório material e pesado, que põe o Espírito em relação com o Mundo Exterior (o da Terra). Perispirito, envoltório fluídico, leve que serve de liame e de intermediário entre o ESPÍRITO e o CORPO .

Seguidores