Páginas

domingo, 3 de novembro de 2013

ESPIRITISMO E O DIA DE FINADOS:


Espiritismo e o dia de finados




O Espiritismo ensina que a maioria dos seus entes queridos são espíritos que você já conhecia, são espíritos com quem você já conviveu no passado. No dia de finados as lembranças podem ser avivadas…

Artigo publicado originalmente em 1°/11/2012

Você é espírito imortal de passeio pela Terra. Já esteve aqui, encarnado, muitas outras vezes. A cada nova experiência na matéria adquire mais experiência, desenvolve mais virtudes, conquista mais confiança em si mesmo como filho de Deus, criado à imagem e semelhança de Deus, portanto, perfectível; veículo de manifestação de Deus.

Cada vez que você começa um novo estágio por aqui, fica limitado aos cinco sentidos. Só sabe o que é possível captar através dos cinco sentidos da matéria. Sua maior ou menor habilidade e facilidade para aprender determinadas coisas dependem do quanto você já se desenvolveu até hoje no somatório de suas inúmeras reencarnações e nos períodos de intervalo entre elas.

São nesses períodos de intervalo que você vive a verdadeira vida, em que você tem oportunidade e capacidade de expressar-se mais e melhor. Se aqui na matéria opensamento é importante, mais importante é no plano astral, onde não há a resistência da matéria, onde o pensamento se manifesta com muito mais facilidade.

Acontece que sempre que viemos pra cá, rapidamente nos acostumamos. Nos acostumamos ao nosso corpo, aos prazeres proporcionados pelo corpo, nos apegamos às coisas, aos objetos, às paisagens, aos costumes. E nos prendemos ferrenhamente às pessoas próximas, aos nossos parceiros de jornada que aqui estão conosco, aos nossos companheiros de experiência terrestre.

De tempos em tempos, alguns de nós voltam pra lá, pro plano astral. É quando abandonamos esse corpo ao qual damos tanto valor. Tanto valor que chegamos a nos confundir com ele! Muitas pessoas pensam que são os seus corpos. E que, se o corpo morre, elas também morrem.

Deve ser realmente triste e desesperador pensar assim. Vivemos, construímos uma história, formamos afetos, criamos vínculos, e de repente tudo acaba. Como um computador velho, antiquado, obsoleto, ou simplesmente acidentado ou mal cuidado, somos descartados para sempre. Há outras crenças, há muitas crenças. Todas respeitáveis. Mas nenhuma que me explique nada de maneira convincente.

Você sabe que está aqui de passagem. Sabe que todos viemos pra cá de tempos em tempos para nos reajustarmos uns com os outros, através do convívio próximo. A aventura humana na Terra é um permanente vai e vem. Neste exato momento em que você está lendo há milhares de espíritos desencarnando e outros milhares de espíritos encarnando. É como um vagão de trem no horário do pico. Quando o trem para na estação dezenas de pessoas cruzam umas com as outras, umas entrando, outras saindo.

Você sabe que a maioria dos seus entes queridos são espíritos que você já conhecia, são espíritos com quem você já conviveu no passado. Alguns deles você gosta mais, outros menos. Sabe que algum dia todos voltam ao plano astral, deixando na Terra só o corpo imprestável. No entanto, quando se olha o corpo que foi habitado por alguém tão amado parece estranho que ele não esteja mais ali…

Nos reencontraremos com aqueles que amamos. Quanto mais nos esforçarmos por nossareforma íntima, quanto mais nos desprendermos dos atrativos da matéria, quanto mais aprendermos a amar, a amar verdadeiramente, sem desespero e egoísmo, mais fácil será esse reencontro. Se o dia de hoje traz saudade pra você, talvez você queira ler este artigo: “O espiritismo e a saudade“.




- See more at: http://www.espiritoimortal.com.br/espiritismo-e-o-dia-de-finados/#sthash.c4EIS75Y.NKX8vbQX.dpuf

Seguidores