Páginas

segunda-feira, 2 de março de 2015

O FUTURO DAS PESQUISAS SOBRE REENCARNAÇÃO



O professor Hemendra Nath Banerjee (1931-1985) nasceu na Índia. Como investigador, levantou mais de mil casos que sugerem reencarnação. Foi diretor de pesquisas do Indian Institute of Parapsychology, filiado ao Research Institute of Varanaseya Sanskrit University.

A convite do Instituto Brasileiro de Pesquisas Psicobiofísicas, o professor Dr. Banerjee esteve no Brasil em dezembro de 1970 e em agosto de 1971.

Ney Prieto Peres, na edição especial da Folha Espírita em Revista, comemorativa dos 50 anos de mediunidade de Chico Xavier, descreveu assim o encontro: “Assistíamos naquela noite de 29 de agosto de 1971 a um encontro histórico. Ali estavam, comodamente sentados, Chico Xavier, o professor Banerjee e o doutor Hernani Guimarães Andrade. O assunto discutido era a reencarnação.

De um lado, Chico, o homem que percebe em si mesmo os confrontos do ontem distante com o hoje presente em diversas criaturas que o buscam. O alcance de sua sensibilidade, ora penetrando nos quadros do pretérito, ora recebendo dos próprios emissários espirituais, em alguns casos que atende, lhe dá a conhecer os fatos constrangedores, causa oriundas dos sofrimentos atuais. Tudo num encadeamento lógico e perfeito, comprovando e elucidando todo o processo de ação e reação, causa e efeito, na existência terrena. Chico Xavier é o próprio testemunho dessa verdade, é a prova evidente, viva, da reencarnação. A Chico não preocupam as comprovações científicas desse postulado espírita, ele percebe, sente e vive a evidência dos fatos.

De outro lado, o professor Hemendra Nath Banerjee, cuja presença entre nós concretiza um ideal alimentado desde 1965. Banerjee adotou a expressão ‘memória extra-cerebral’ e desenvolveu um exaustivo trabalho de pesquisa no campo da reencarnação.

Completava esse destacado trio o doutor Hernani Guimarães Andrade, conhecido por todos nós.

Era realmente um encontro histórico, numa época muito significativa, que marcou e abriu horizontes, cuja extensão não conseguimos alcançar, levando por todos os meios o conhecimento das verdades que a reencarnação encerra, colaborando, sem qualquer dúvida, na preparação do amanhã que a Pátria do Evangelho desempenhará no planeta”.

Reproduzimos trecho do debate para ilustrar a abrangência dos temas tratados.

BANERJEE – Qual é o futuro das pesquisas sobre a reencarnação?

CHICO – Os espíritos acham que é do maior alcance, porque a reencarnação, quando se positivar, vai alterar toda a Psicologia, a Psiquiatria e a Psicanálise. Vemos que o mundo precisa da ideia da reencarnação.

Mais adiante, Chico conta aos presentes uma experiência espiritual ocorrido em 1933, relatada a algumas pessoas amigas, quando Emmanuel lhe dera conhecimento das dificuldades que o Tibet iria passar. E nos transmite como segue:

CHICO – O espírito de inspiração da Índia está no Brasil todo. Há uma coisa curiosa, eu moro numa cidade que cria o gado indiano. Nos meados do século passado, alguns criadores, fazendeiros da região, sentiam tamanha atração pela Índia que foram buscar o gado naquele país. Mas os espíritos me explicaram que eles eram hindus reencarnados, explicaram-me também que na região uberabense o sol bate com o mesmo teor de calor com que bate em muitas terras indianas. Então eles vieram primeiro e foram buscar os animais que se aclimatariam ali.

(Texto extraído do livro “Aprendendo com Chico Xavier, um exemplo de vida” de Paulo Rossi Severino – Folha Espírita.)

Seguidores